WEBi Desde 1998

Blog

Nova Atualização do Google: o Hummingbird

Perto de completar 2 meses de atualização o novo algorítimo do Google precisa ser entendido, e vamos tentar lhe explicar de maneira simples e de fácil entendimento. Confira!

 

O Google está mais velho. 15 anos de serviço que não podem ser traduzido em cifras diante da utilidade que este buscador nos ofereceu desde o seu advento. Desde assuntos relacionados a trabalho, como forma de organizar calendários, manter uma rede de comunicação ativa através de e-mails cheios de ferramentas, reuniões em vídeo através de hangouts, a capacidade de pesquisa extremamente útil, entre outras ferramentas que servem para deixar a vida de qualquer escritório virtual muito mais facilitada. O Google rompeu as barreiras e é um belo exemplo de como uma empresa deve se comportar com os avanços sociais e as mudanças dentro do mercado.

Não é segredo nenhum que a internet está cada vez mais cheia de complexidades, com inúmeros e incontáveis sites e um conteúdo de gigantescas proporções que ninguém sabe mais ou menos a quantidade de espaço físico para armazenar tudo o que existe na internet. E o Google entende isso. Ele entende que as pessoas estão cada vez mais utilizando a internet para fins mais complexos e com necessidades que às vezes parecem ser impossíveis de serem supridas. E, notando isso, a empresa percebeu que seria necessário bem mais do que um sistema que trabalhasse com palavras-chave para poder entregar aquilo que o consumidor está querendo. E é aí que entra o Hummingbird.

O QUE É O HUMMINGBIRD?

Bem, Hummingbird é o mesmo que beija-flor em um bom português. E o que é esse “beija-flor”? Trata-se de um novo algoritmo usado nas pesquisas realizadas pelo Google. Para entender melhor, vamos exemplificar. Digamos que o Google trabalha com palavras-chave para achar alguma página que corresponda ao que está sendo pedido. Você vai lá e digita “torta de morango” e o Google vai achar uma página que tenha “torta de morango” em seu conteúdo. Pois bem, sabendo que este sistema já estava “ultrapassado” por causa das pesquisas cada vez mais complexas, o Google criou um algoritmo que trabalha com essa complexidade, analisando o contexto da pesquisa com os resultados encontrados, utilizando associações e tentando encontrar páginas que sejam mais coerentes com o que foi pedido na pesquisa.

Como você pode ver, se trata de um algoritmo bem mais complexo e que tenta trazer um nível de exatidão mais alto do que o que havia antigamente. E, pasmem, esse algoritmo estava sendo utilizado há um mês antes do comunicado ser feito em Setembro e hoje em dia corresponde a 90% das pesquisas realizadas no Google em todo o mundo. Se você percebe uma facilidade maior ao achar algo no Google, não foi por acaso.

Essa precisão cada vez mais presente na internet é o resultado de um comprometimento da empresa em manter o primeiro lugar quando o assunto é buscas. Ela não quer se desfazer deste importante papel que é dominar as páginas iniciais de uma boa porcentagem dos usuários da internet. O Google se renova, se mantém no mercado e assim deixa cada vez menos espaços para os concorrentes. E essa atualização condiz exatamente com o tempo em que estamos vivendo. Queremos resultados imediatos e precisos, não temos muito tempo para passar minutos procurando em várias páginas de resultado de pesquisa. Queremos tudo na primeira página, quiçá na segunda. Podem chamar os consumidores de mimados, mas o Google preferiu mimá-los mais ainda.

Essa era da informação está cada vez mais fácil e acessível. Por fim, ela está consolidada. Resta saber qual vai ser a relevância da próxima atualização daqui a 15 anos.

comentários
Voltar para o blog
Posts recentes